• Estava com Saudade de Ti – Eliana Ribeiro
  • Que Santidade de Vida – Mons. Jonas
  • Adeus Ano Velho Feliz Ano Novo
  • NOSSA MISSÃO / ADRIANA ARYDES
  • DAI-ME FORÇAS / Banda Chama

Cursos de Noivos na Paróquia da Catedral

Postado por Pe Moacyr Ramos Nogueira em 26/nov/2017 - Sem Comentários

Aconteceu neste domingo, 25 de novembro, festa de Jesus Cristo Rei do Universo mais um curso de noivos na paróquia São João Batista em Caratinga. 17 casais participaram do encontro, que foi preparado com carinho pela nossa equipe do curso de noivos. Agradecemos a todos, de modo especial os que aceitaram nosso convite para as palestras.

Ainda que o casal pense que já está pronto, é sempre importante que se dê a oportunidade para dialogar, guiados por especialistas, sobre o compromisso que vão assumir e as condições que devem ter como casal para entregar-se um ao outro e construir um casamento feliz e estável.

Também a Igreja, por sua vez, sente a responsabilidade de selar e validar sacramentalmente uma união só quando pode dar testemunho de que os que celebram tal sacramento sabem o que vão fazer e são conscientes das responsabilidades que adquirem entre eles, com a Igreja e com a sociedade. Por isso, exige que os casais participem dos cursos de preparação para o matrimônio, os cursos de noivos, que ela oferece.
No Matrimônio, homem e mulher constituem uma comunhão íntima por toda a vida e celebram o amor esponsal de nosso Deus. Essa união foi elevada por Cristo Jesus à dignidade de sacramento, para o bem dos cônjuges e das famílias, pois é capaz de exprimir a entrega de Cristo na cruz pela humanidade (cf. Ef 5,32). A Sagrada Escritura, ao narrar a criação do homem e da mulher à imagem e semelhança de Deus, ao tomar a união entre esposo e esposa como imagem da Aliança, e ao terminar com a visão das “núpcias do Cordeiro” (Ap 19, 9), revela a grandeza desse sacramento. Do princípio ao fim, a Escritura fala do Matrimônio e do seu “mistério”, da sua instituição e do sentido que Deus lhe deu, da sua origem e da sua finalidade, das suas diversas realizações ao longo da história da salvação, das suas dificuldades nascidas do pecado e da sua renovação “no Senhor” (1 Cor 7, 39), na Nova Aliança de Cristo com a Igreja.